Breaking News
recent

Crítica de Séries: Damien


Anunciada em agosto de 2014, Damien é a sequência televisiva do filme A Profecia/The Omen, lançado nos cinemas em 1976.

Originalmente encomendada pelo canal Lifetime, a série migrou para o A&E, que encomendou mais quatro episódios, o que leva a primeira temporada a um total de dez episódios. A mudança ocorreu por decisão de Rob Sharenow, diretor do Lifetime que também cuida da programação do A&E. Segundo ele, Damien, uma trama de suspense e terror, se encaixa melhor ao perfil do A&E, onde poderá fazer companhia a Bates Motel.

No filme, quando o filho do diplomata Robert Thorn (Gregory Peck) morre ao nascer, ele decide adotar um menino recém nascido. Sem contar para a esposa Katherine (Lee Remick) que aquele não é o bebê que ela gerou, o casal cria Damien (Harvey Spencer Stephens) como seu filho. Com o passar dos anos, ocorrem algumas tragédias todas, de alguma forma, ligadas a Damien.

Criada por Glen Mazzara (The Walking Dead), a série gira em torno de Damien Thorn (Bradley James, de Merlin), agora um adulto atormentado por seu passado. Após testemunhar uma série de eventos macabros, ele precisa enfrentar seu destino: tornar-se o Anticristo.

No elenco também estão Megalyn Echikunwoke (Mind Games, The Following), como Simone Baptiste, uma mulher que cresceu à sombra de sua irmã. Quando sua vida é abalada por uma tragédia, ela começa a questionar sua fé em Deus; Omid Abtahi (Those Who Kill US), como Amani Golkar, melhor amigo de Damien que desconhece seu lado obscuro; Barbara Hershey (Once Upon a Time, Chicago Hope, Os Monroes), como Ann Rutledge, a mulher mais poderosa do mundo, que tem a responsabilidade de garantir que Damien siga seu destino; e David Meunier (Justified), como o detetive Shay, um veterano condecorado, cínico e prático, que investiga os estranhos eventos que cercam Damien.

O grande ponto alto da série, além de Bradley James claro, que eu amo, é que é uma sequência dos filmes da década de 70 e não do de 2006. A versão original, em quase todos os casos, costuma ser melhor do que a refilmagem ou reboot. Inclusive, os flashbacks mostrados durante a série são do filme da década de 70.

Como fã, achei que Bradley James ficou muito bem  no papel, a atuação dele segue densa, delineada, e convincente. É emocionante para mim poder vê-lo novamente protagonizando um personagem com uma carga dramática tão complexa, assim como foi sua atuação na série Britânica Merlin, no papel de Rei Arthur. Esse magnífico ator Britânico que apesar de ter protagonizado duas séries, tido um papel de destaque em IZombie e participação em alguns filmes e séries  menores, infelizmente ainda é pouco conhecido à nível mundial.

A série inicia-se mostrando Damien na Síria, com 30 anos de idade, trabalhando como um fotográfo de guerra, tentando levar uma vida o mais normal possível, dentro das possibilidades, sem lembrar-se de seu passado. Até que uma estranha mulher o lembra do seu terrível destino... A partir daí, Damien começa a ter flashbacks de sua infância e a sombria conclusão toma sua mente: Ele é o Anti-Cristo!

Damien, então, começa a entender o real motivo e o porquê de todas as mortes, caos e problemas acontecerem ao seu redor.

O problema é que apartir daí, a série não sabe mais o que fazer com a mitologia e não ousa. Damien se torna uma vítima de si mesmo, um homem atormentado, que teme perder as pessoas que gosta simplesmente pelo fato de elas se aproximarem dele. O fato de Damien não ter suas memórias, faz com que a história seja praticamente contada novamente, e acho que não tinha necessidade disso.

Acredito que, 40 anos depois do início da franquia e vários filmes produzidos, seria interessante que no futuro, Damien aceitasse sua natureza, e se tornasse o vilão ou o herói de toda essa história (ou pelo menos um meio termo), e que toda essa trama finalmente culmina-se no tão falado "apocalipse sobre a terra", que é o grande propósito de vida do Damien. O fato da série ser comandado por Glen Mazarra de The Walking dá um grande indício de que realmente isso irá acontecer.

Porém, sei que trata-se de uma série, onde as coisa precisam (e devem) andar mais devagar, só espero que a história ganhe estabilidade e mostre o que os fãs dos filmes gostariam de ver em uma sequência. Que Damien se encontre em sua jornada, e que a série tenha tempo para isso, porque história e mitologia para trabalhar, eles tem de sobra! Vale a pena conferir, é uma boa série, uma história com uma premissa maravilhosa onde acontecem coisas interessantes!
Giselle Trindade

Giselle Trindade

Escritora, blogueira e formada em psicologia. Apaixonada por séries, filmes e livros. 

2 comentários:

Anônimo disse...

vai ter segunda temporada??

Julio cezar Andrade disse...

Damien:A única série que consegui assistir todos os seus dez episodios.O tema anticristo me é muito interessante e nessa sequencia os capitulos nao se tornaram "chatos" como as demais seies que comecei e ate hoje nao terminei de assistir por ter perdido o interesse.Damien me prendeu a atenção do primeiro ao ultimo episodio.Espero que tenha uma segunda temporada.Ótimo elenco.Bradley james,ator de grande carisma

Tecnologia do Blogger.